(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC. Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Infamous


"Infamous" (2006)

Direção:
Doug McGrath e Dogulas McGrath.

Com:
Toby Jones (Truman Capote) , Sandra Bullock (Harper Lee) e Daniel Craig (Perry Smith).



"Infamous" é um caso raro dentro da filmografia mundial, acredito. No espaço de 1 ano foi lançado um filme que reconta a mesma história já brilhantemente contada em outro, neste caso o "outro" é o filme ganhador do Oscar de melhor ator, com Philip Seymour Hoffman em "Capote" (2005). "Infamous" foi lançado em 2006.

Parece estranho dois filmes que contam a mesma história serem produzidos e lançados praticamente ao mesmo tempo. Talvez tenha ocorrido a observação de que as histórias de Truman Capote e do assassinato da família Clutter fossem ótimas para a tela grande, ou talvez os produtores dos dois filmes tenham lido a biografia de Geralfd Clarke e outras fontes ao mesmo tempo. Talvez o primeiro tenha influenciado a produção do segundo. Não dá pra saber. Porém o importante é que são dois belos filmes. Especialmente no que se diferem.

Observar a caracterização do ator inglês Toby Jones talvez seja mergulhar no que seja de mais próximo de alguém que tenha convivido e conhecido Truman Capote. A afirmação anterior só pode ser encarada como uma hipótese, já que nunca estive ao lado do escritor americano ou de alguém que o tenha conhecido pessoalmente. A interpretação de Jones é soberba, até porque diferentemente de Hoffman, Jones é fisicamente muito parecido com Capote, o que não nega a excelência da interpretação do primeiro.

O filme começa em dois planos distintos. O primeiro é como se ocorresse um talk-show, onde personagens importantes que conviveram com Capote dão depoimentos emocionados sobre ele, como Harper Lee, Gore Vidal (um grande rival), Jack Dunphy, entre outros. O outro plano é justamente o desenvolvimento da história de Truman e dos assassinos dos Clutter. Esses planos não se segmentam no filme. Se sobrepõem em diferentes momentos da película.

"Infamous" é diferente de "Capote" em vários aspectos. O filme é luminoso, as cores e a fotografia refletem bem a efervescência dos anos 1950 e 1960, principalmente em Nova York, habitat do escritor. O filme relata as amizades de Truman com a alta sociedade da grande maçã. High socity tão importante para ele. Seu contato com personalidades, empresários e dondocas de Manhattan é explorado neste filme, e demonstra que ter acesso à elite norte-amerciana era de suma importância para o escritor, para seu ego tão inflado quanto carente.

O Truman de Jones tem uma alegria melancólica, ácida, mas foge um pouco da depressão demonstrada por Philip e as cores acinzentadas e frias de "Capote". A trilha sonora também é mais animada, apresentando os standards do cancioneiro americano com a exemplificação de uma apresentação característica da época, com a participação especial de Gwyneth Paltrow.

Jones apresenta o escritor como alguém sensível, cheio de manias e afetações. Ser gay e efeminado para Capote não era uma alegoria, fazia parte de sua personalidade, de quem ele era, além do uso que o próprio fazia de sua condição
sui generis para chamar a atenção e ser notado. O que não era muito difícil... A atuação de Sandra Bullock como Harper Lee é mais interessante e viva do que a de Catherine Keener em "Capote". Porém não gosto do Perry Smith interpretado por Daniel Craig. O ator irlandês parece estar sempre encarnando James Bond e apesar de Smith ter sido um cara realmente perigoso, a atuação de Clifton Collins Jr aparenta trazer uma sensibilidade que Truman demonstra no seu "A sangue frio" e que Clark apresenta na biografia de Capote. Além disso Craig é muito diferente fisicamente de Perry, o que é também muito importante, pois e apesar de Perry Smith ser muito mais forte do que Truman Capote, os dois tinham praticamente a mesma altura. Em "Infamous" essa discrepância me incomodou bastante.

Outro fato interessante é a explicitação do envolvimento sexual entre Truman e Perry, que em nenhum momento é descrito em sua biografia. Já as fontes dos roteiristas de "Infamous" são baseadas em um livro de fofocas e relatos de pessoas que conheceram Capote, talvez dessa fonte tenha nascido a ideia e o uso de um "talk-show" imaginário com os "amigos" de Capote. Este livro-fonte foi escrito por George Plimpton
.

Acredito que como arte final, na somatória de todos os fatores cinematográficos e da genial atuação de Toby Jones , "Infamous" é superior a "Capote". Mas como tinha dito na resenha do filme de 2005, o ineditismo e a também brilhante, porém diferente interpretação de Hoffman, faz com que minhas emoções se apeguem mais à primeira película. Outro dado importante é que "Capote" assisti na tela grande e "Infamous" degustei em casa, no meu computador. A forma como os filmes são vistos e absorvidos é de fundamental importância na maneira como você os sente posteriormente, e neste caso, a tela grande ganha de goleada de qualquer filme visto em casa.

Cenas antológicas de "Infamous": A abertura da caixa de Perry por Capote na cena final. Quando Capote ganha e perde de propósito na queda de braços. A cena em que Truman relata os dramas de sua infância para Perry dentro da cela.






Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Postar um comentário

Deixe seu email para que você possa receber as novidades e promoções do PSQC!

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades
Agora também estamos no incrível espaço de cultura colaborativa que é a Obvious. Lá faremos nossas digressões sobre literatura, cinema e a vida nas cidades. Ficaram curiosos? É só clicar na imagem e vocês irão direto para lá!

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!
Para efetuar a compra do livro no site da Multifoco, é só clicar na imagem! Ou para comprar comigo, com uma linda dedicatória, é só me escrever um email, que está aqui no blog. Besos.

O autor

Vinícius Silva é poeta, escritor e professor, não necessariamente nesta mesma ordem. Doutor em planejamento urbano pelo IPPUR/UFRJ, cientista social e mestre em sociologia e antropologia formado também pela UFRJ. Foi professor da UFJF, da FAEDUC (Faculdade de Duque de Caxias), da Rede Estadual do Estado do Rio de Janeiro (SEEDUC) e atualmente é professor efetivo em sociologia do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Criou e administra o Blog PALAVRAS SOBRE QUALQUER COISA desde 2007, e em 2011 lançou o livro de mesmo nome pela Editora Multifoco. Possui o espaço literário "Palavras, Películas e Cidades" na plataforma Obvious Lounge. Já trabalhou em projetos de garantia de direitos humanos em ONG's como ISER, Instituto Promundo e Projeto Legal. Nascido em Nova Iguaçu, criado em Mesquita, morador de Belford Roxo. Lançou em 2015, pela Editora Kazuá, seu segundo livro de poesias: (in)contidos. Defensor e crítico do território conhecido como Baixada Fluminense.

O CULPADO OCUPANDO-SE DAS PALAVRAS

Contato

O email do blog: vinicius.fsilva@gmail.com

O PASSADO TAMBÉM MERECE SER (RE)LIDO

AMIGOS DO PSQC

Google+ Followers

As mais lidas!