(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC. Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

o jogo de verdade(s)






Mas na verdade, qual é a verdade mais doída?

A verdade dos pais,

ou

a verdade da vida?


(para G.)






Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

SERH - Serviço de Educação e Responsabilização para Homens Autores de Violência de Gênero


Apresento o SERH - Serviço de Educação e Responsabilização de Homens Autores de Violência de Gênero. Política pública pioneira, prevista pela Lei "Maria da Penha", e desenvolvida em parceria pela Prefeitura de Nova Iguaçu e o ISER - Instituto de Estudos da Religião. Coordenada pela SEMASPV (Secretaria Municipal de Assistência Social e Prevenção da Violência de Nova Iguaçu) e o ISER, com financiamento do Ministério da Justiça, pela SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública).

Atuo neste projeto como FACILITADOR de grupos reflexivos formados pelos homens autores de violência enviados pela Justiça, convidados e voluntários. Também realizando entrevistas individuais e
ampliando a rede de contatos para o aumento de demanda para futuros atendimentos.

Para melhor compreender como funciona o serviço é só clicar nos folders abaixo e vê-los ampliados em seu computador.

E neste momento crio a secção Labuta no PSQC, onde descreverei as atividades profissionais que considero relevantes, que desenvolvo ou que me envolvo. Faço com a fé de que algumas coisas podem mudar e melhorar, basta trabalhar.




Transcrevo abaixo os links onde nossos leitores poderão pesquisar e connhecer um pouco mais sobre o tema:

http://www.iser.org.br/exibe_noticias.php?mat_id=169


http://www.prevencaodaviolencia-ni.org.br/site/index.php


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Meu aniversário de 30 anos!

Bom, estou postando no dia do meu aniversário por apenas um motivo: Adentro ao time dos balzaquianos (será que é só uma exclusividade feminina ser "balzaquiana" ?). Sim, faço 30 primaveras no dia de hoje. E cruzar esta linha dos "vinte" para os "trinta" não é nada fácil, ou é? Quando menos esperamos... estamos lá. Mas enfrento esse momento com resignação e coragem, e com fé de que aos 40 ainda estarei aqui escrevendo e torrando a paciência de vocês.

E para provar como ainda estou bem, publico minha foto** mais atual:



Transcrevo agora uma crônica bem bacana que encontrei pelas andanças internéticas da vida. O link com a referência vai ao final do post.


"Acabo de me tornar um homem de 30, o que merece algumas considerações. A primeira é que ainda tenho, segundo a teoria de um amigo - um homem de 40 -, cinco anos pra sonhos, incertezas, devaneios e aquele certo incômodo de não sei o quê. É que, de acordo com a teoria desse amigo - lembrem-se, um homem de 40 -, aos 35 anos atingimos, os homens, a tal maturidade. Talvez, penso eu, o que Sartre chama de A Idade da Razão (parênteses pra lembrar que esse foi um livro lido aos 20 que muito me influenciou). Aos 35 anos, segundo o Normand, esse meu amigo, nós temos plena consciência do que era apenas sonho irrealizável e do que pode se constituir em um projeto de vida decente. Mas hoje não, só aos 35 anos.

Um homem de 30, em pleno século XXI, pode se gabar de ter vivido apenas um terço da vida ou pouco mais que isso, ao se verificar a expectativa de vida média nacional - e se for parcimonioso no seu dia-a-dia. Graças aos avanços da ciência, um homem de 30 não é mais um homem de meia idade.

Um homem de 30 anos já é um profissional, seja lá qual for a profissão que tenha escolhido - ou o contrário. Mas um bom homem de 30 ainda não se acomodou. Um bom homem de 30 ainda tem cinco anos pra, por exemplo, deixar o jornalismo e se tornar um... um o quê mesmo?

Um homem de 30 numa cidade de 70. Um homem de 70 numa cidade de 110?

Pra um birigüiense (no meu caso, mesquitense)* de 30, que não é lá nenhum Gianecchini, já tive mais mulheres do que mereço. Mas menos do que gostaria.

30 anos. Pras mulheres, balzaquianas. Pros homens... ficamos sem definição?

Diga 33, pede o médico. Não, hoje só digo 30. Trinta e três só depois de amanhã.

Trinta e cinco anos, a idade da razão. Mas poderá um homem de 30 já ter vivido a melhor fase da vida? Desconfio que sim, mas torço que não. Talvez seja possível ter vivido a melhor e a pior fases. E uma média disso, seria suportável? É provável que sim, especialmente com a ajuda das fluoxetinas da vida.

Quero aprender inglês, francês, italiano, espanhol. Violão, teclado - piano seria pedir demais -, guitarra, clarineta, saxofone. Quero ler muitos livros, completar as obras de Miller e Sartre - haverá tempo na vida pra O Ser e o Nada? -, começar Hemingway e Paulo Coelho. Não, Paulo Coelho, não. Quero reler alguns livros, mas como, se não há tempo nem pros novos? Quero assistir, de novo, a filmes menores, mas bons: Antes do Amanhecer, Para o Resto de Nossas Vidas, Henry e June.

Há tempo na vida de um homem de 30 pra tudo isso? Sobretudo antes dos 35? É, porque se depois disso estará tudo bem, quem se preocuparia com complicadas coisas novas?

Implante pra calvície, lipoaspiração e cirurgia plástica pra barriga de cerveja, viagra praquilo-que-comigo-nunca-acontece-eu-sou-é-macho-aê. Haverá com o que um moderno homem de 30 deva se preocupar? (Ah, e cidades sempre com mais mulheres que homens).

Senhoras, senhores, senhoritas - especialmente senhoritas: esse novo homem de 30 ainda tem quatro anos e 364 dias pra atingir a idade da razão. Até lá, tudo é permitido.

Sou um homem de 30 sob nova direção. Ou melhor: sem direção nenhuma. Amanhã vou pensar no que fazer. Amanhã não, só depois de amanhã".

* interferência abusiva minha

http://galvez.tipos.com.br/posts/2008/08/09/balanco-dos-30-anos-ou-um-balancado-homem-de


** clique na foto para saber a verdadeira referência da mesma



Besos a todos!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Reflexões 6

Está decidido! Irei lançar a campanha Arnaldo Jabor para presidente do Brasil! E se ele for bem em sua função irei lançar a campanha Arnaldo Jabor para presidente dos EUA e posteriormente Arnaldo Jabor para presidente da ONU.

Arnaldo Jabor de tudo sabe. Sabe de tudo. Ele entende, compreende e analisa todas as crises e problemas do planeta. Israel? Palestina? Moleza, senhor Jabor faz um artigo daqueles e grava sua coluna colérica no Jornal da Globo. Crise econômica mundial? Falar mal do Lula e do governo? Do Hugo Chavez? Das nossas republiquetas ressentidas da América do Sul? Da Amazônia? Violência? Etc, etc, etc. Arnaldo Jabor de tudo fala e sobre tudo escreve, e com uma propriedade danada de se ver. De cinema eu, particularmente, quase não escuto ele falar e escrever.

Ele escreve bem. Seus textos e palavras possuem uma contudência e eloquência cativantes, e que geram alertas quando nos percebemos prestando atenção. Mas como alguém pode saber tudo e tanto sobre todas as questões do... mundo! Acredito que alguns filhotes de jornalistas devam sonhar a seguinte conversa com suas respectivas mamães: "Mamãe, quando eu crescer eu quero ser um jornalista e cineasta que não faz filmes igual ao Arnaldo Jabor".

O que eu posso dizer é o seguinte: Ô Jabor, vai catar coquinho e deixa de ser chato!

E é só.
Passou.
Estou bem agora.

Besos.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Minhas Pinturas, por Humberto Assumpção



























































Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Em ordem de cima para baixo: La fleur, Escrava, Campo, Les chats (bleu), Les chats (rouge).

Estes quadros fazem parte da produção incipiente de um grande artista e amigo recente, seu nome é Humberto Assumpção. Caso tenha gostado das obras (e também do estilo) e quiser adquiri-las ou encomendá-las, o contato é :

(21) 2766-3095 / 2668-1650 / 8577-0151



Boas cores!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

IX - PARTIDA / X - FIM DE JOGO, por Aline Corssais

Estreamos nesse momento a secção CONVIDADOS do PSQC. Apresentando os textos de uma talentosa poeta de Nova Iguaçu, indicação do não menos sagaz Humberto Assumpção, que já contribuiu para nosso Podcast. E brevemente teremos novidades nas ondas sonoras de nosso blog.

Seja bem-vinda Aline Corssais!


IX - PARTIDA
Ainda aguardo
Em noites e dias
Teu baralho
Preenchendo minhas lacunas
Tua língua
Cruzando minhas palavras
Teus afagos
Desmontando meu quebra-cabeça.


X - FIM DE JOGO
O jogo acabou
É o fim de nossa partida
Nunca mais cruzarás
Minhas palavras
Nunca mais montarei
Em seu quebra-cabeças
Prefiro vazias
Minhas lacunas
Agora sou eu que dou as cartas
Vá pro raio que o parta
Game over, meu amor.


Aline Corssais


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

cachinhos

A criança brincava e o feixe de luz reluzia em suas bochechas claras. As pequenas ondas brilhantes de seus cabelos dourados eram o prenúncio de um dia feliz. Mesa. Bolsa. Carteira. Comida. Correria. A mãe, orgulhosa de sua atenção, de seu zelo, caminhava com sua cria em meio aos outros de cabelos brancos e rugas, demonstrando sua realeza por ter gerado dentro de suas entranhas algo tão maravilhoso, moldado à semelhança dos anjos. De repente, um susto! Outros. Outros. De algum lugar diferentes anjos brotavam e confundiam sua visão. Como, como poderiam ser tantos? E seu menino voava, confundia-se às asas, emaranhava-se entre cachos e cachos, pernas e canelas, poeiras ao léu. Traquinagens sem fim. A mãe aflita percorria os caminhos berrando por seu pequeno, amedrontada pelos perigos da vida. E mais uma vez, em um novo repente, seu anjo surge, ressurge, encontra, cruza seu olhar e grita: Mãe vem pra cá brincar! Vem! Não demora mais! Te amo minha mãe. Vem brincar, porque domingo no parque é bom demais!


(para Bruna e Davi)


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009



Gente, o PSQC precisa de uma forcinha dos amigos e de nossos queridos leitores. Temos alguns textos e artigos, e que já foram publicados aqui no blog, necessitando de seus votos para continuarem ativos na página do Portal Literal.


Para votar é necessário preencher um rápido login no site e clicar na setinha verde ao lado do título do arquivo, e além de votar nos textos do PSQC você poderá baixar e ler o encorpado conteúdo que o Portal Literal oferece. Diversos autores com textos interessantes e o melhor: novas produções e frescor literário.

Não deixem de acessar e votar.

Aqui estão os links com os textos do PSQC no Portal Literal:


http://portalliteral.terra.com.br/artigos/cotas-raciais-a-posicao-do

http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/o-gato

http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/um-conto-sobre-trilhos

http://portalliteral.terra.com.br/links/palavras-sobre-qualquer-coisa

http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/tiros-poeticos

http://portalliteral.terra.com.br/banco/texto/dois-dedos-de-poesia-e-um-de-prosa


Mais uma vez,
obrigado!


Besos

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Alta Fidelidade (Lista 1): Lágrimas cinematográficas

Cinema

Tenho a impressão que os melhores filmes que já assisti
foram os que me fizeram chorar ao seu final.
Foi vendo filmes que aprendi que homens também choram.


O poema escrito acima já foi publicado aqui no PSQC, mas o fato de reescrevê-lo foi o desejo de explicitar quais os filmes que realmente me fizeram chorar, e obviamente que essas citações estão cercadas pelos muros da memória (cada vez mais falha, dizem que é mal da idade...).

Então vamos à lista na ordem das lágrimas mais antigas para as mais recentes:

Laços de Ternura (
Terms of Endearment, 1983);
Inimigo Meu (Enemy Mine, 1985);
Forrest Gump - O contador de Histórias (Forrest Gump, 1994);
O resgate do soldado Ryan (
Saving Private Ryan, 1998);
O maior amor do mundo (2006).

Faça a sua lista e a revele para nossos leitores nos comentários!


Besos com sincero fungar de nariz.



Obs.: E após rever "O maior amor do mundo" de Carlos Diegues, neste exato momento, dia 20/01/09 às 03:57, minhas lágrimas retornam com força, molham meu rosto, trazendo uma alegria triste e bela, em mais uma madrugada que teima em não terminar...

Deixe seu email para que você possa receber as novidades e promoções do PSQC!

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades
Agora também estamos no incrível espaço de cultura colaborativa que é a Obvious. Lá faremos nossas digressões sobre literatura, cinema e a vida nas cidades. Ficaram curiosos? É só clicar na imagem e vocês irão direto para lá!

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!
Para efetuar a compra do livro no site da Multifoco, é só clicar na imagem! Ou para comprar comigo, com uma linda dedicatória, é só me escrever um email, que está aqui no blog. Besos.

O autor

Vinícius Silva é poeta, escritor e professor, não necessariamente nesta mesma ordem. Doutor em planejamento urbano pelo IPPUR/UFRJ, cientista social e mestre em sociologia e antropologia formado também pela UFRJ. Foi professor da UFJF, da FAEDUC (Faculdade de Duque de Caxias), da Rede Estadual do Estado do Rio de Janeiro (SEEDUC) e atualmente é professor efetivo em sociologia do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Criou e administra o Blog PALAVRAS SOBRE QUALQUER COISA desde 2007, e em 2011 lançou o livro de mesmo nome pela Editora Multifoco. Possui o espaço literário "Palavras, Películas e Cidades" na plataforma Obvious Lounge. Já trabalhou em projetos de garantia de direitos humanos em ONG's como ISER, Instituto Promundo e Projeto Legal. Nascido em Nova Iguaçu, criado em Mesquita, morador de Belford Roxo. Lançou em 2015, pela Editora Kazuá, seu segundo livro de poesias: (in)contidos. Defensor e crítico do território conhecido como Baixada Fluminense.

O CULPADO OCUPANDO-SE DAS PALAVRAS

Contato

O email do blog: vinicius.fsilva@gmail.com

O PASSADO TAMBÉM MERECE SER (RE)LIDO

AMIGOS DO PSQC

Google+ Followers

As mais lidas!