(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC. Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

domingo, 18 de agosto de 2013

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

O Palavras Sobre Qualquer Coisa estará na Bienal do Rio 2013!



É o seguinte: Agora está CONFIRMADO, o Palavras Sobre Qualquer Coisa estará presente na BIENAL DO LIVRO 2013, no Rio de Janeiro! Dia 07/09 (sábado) às 17h. Para quem não sabe a Bienal acontece no Riocentro (Jacarepaguá) e eu estarei na Rua P14, Pavilhão Verde, Estande MODO EDITORA/MULTIFOCO.

Amigos, colegas, alunos e até os inimigos (convidem suas sogras). Conto com a presença de vocês lá e compartilhem este vídeo para o companheiro aqui!

Besos.







Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A participação do Palavras Sobre Qualquer Coisa na II Semana da Baixada Fluminense, na UFRRJ















Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

II Semana da Baixada Fluminense


Estarei hoje, dia 08/08 (quinta-feira) autografando meu livro, o Palavras Sobre Qualquer Coisa (www.facebook.com/palavrassobrequalquercoisa), ou simplesmente batendo um papo sobre literatura e política, na II Semana da Baixada Fluminense, que será realizada no campi da UFRRJ (Rural), em Nova Iguaçu, entre 12h e 14h. 


Quem quiser dar um pulo lá... será muito bacana!


Besos.




Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Cem mil vozes


Bom, antes do texto, alguns esclarecimentos prévios:

Este foi um texto escrito logo após ao calor de minha participação na manifestação que ocorreu no dia 17 de Junho de 2013, no centro do Rio de Janeiro, e que reuniu, em informações extra-oficiais, por volta de 100 mil pessoas na Avenida Rio Branco. Este texto teve 169 compartilhamentos no facebook.

No texto há algumas passagens que posteriormente se tornariam polêmicas na ambiência das redes sociais. Uma delas é quanto à frase gritada "não temos partido", à qual eu também verbalizei, pois eu realmente não tenho partido. O que ficou óbvio para mim, e naquele momento, era justamente a indignação da grande maioria da população quanto à não representatividade dos partidos políticos frente aos anseios e demandas do povo, e nessa pesada conta, entraram TODOS os partidos. Alguns companheiros e integrantes de partidos de esquerda, alguns destes com um longo histórico em lutas sociais, ficaram aborrecidos com este fenômeno, mas a realidade não respeita teorias e expectativas, ela se apresenta e vamos tentando conhecê-la e reconhecê-la. Acho que isso já foi superado pela grande maioria dos militantes e por alguns ideólogos de grandes teorias da conspiração.

Outro termo polêmico é o tal do "o gigante acordou". Um monte de gente legal andou falando, "eu não acordei porra nenhuma", "já estava acordado há muito tempo, você não?", "ninguém me acordou de nada", etc. Eu utilizei a frase, porque acho uma bela ALEGORIA com a palavra que se repete em nosso hino nacional, então, ela fica. Não gostou, paciência (iria utilizar a palavra "foda-se", mas desisti).

Então voilà!

"Eu fui, sim, fui. Eram cem mil pessoas na Avenida Rio Branco, cem mil vozes bradando em uníssono que não aceitam esse país, que eles querem outro, outro, um novo Brasil, um Brasil do povo, para o povo.

O famoso jornalista (que já veio pedir desculpas públicas) tinha razão. A classe média estava lá. Mas não estava só. A classe média baixa estava. Os pretos estavam. Os mulatos estavam. Os marrons-bombons estavam. Os sararás estavam. Os brancos estavam. Os gringos estavam. Os pobres estavam. Arrisco dizer que até alguns da classe média alta estavam.

A maioria era de estudantes sim, mas os idosos estavam presentes, pessoas de meia idade, gordos, magros, cadeirantes. Vi professores, advogados, engravatados, desempregados, punks, góticos, funkeiros, galera da Maré, meninos e meninas da Zona Sul, gente do subúrbio, gente da Baixada. Todos, sim, eles estavam lá.

Revi pessoas que passaram pela minha vida no segundo grau, na graduação, no mestrado, no doutorado, pessoas que trabalharam comigo em projetos sociais, colegas e amigos. Minha vida estava ali evidenciada por essas pessoas. Meu pai estava comigo, minha mãe, meu irmão, meu sobrinho, minha esposa, estavam comigo, dentro do meu peito, que batia forte.

E cantavam, gritavam em um estrondo ensurdecedor e que dizia que não, que um país não se vende, que um governador e um prefeito não podem vender um estado e uma cidade para um conglomerado de empresas, enquanto a população é simplesmente escarneada cotidianamente pela única instituição do Estado que conhecemos bem: a polícia!

Não acreditem se disserem que a manifestação foi violenta, porque não foi. E se disserem que é manobra de partidos, a frase que mais ouvi foi "Não tenho partido!". Estas cem mil pessoas estavam se olhando, controlando qualquer movimento que pudesse ser considerado agressão, baderna ou vandalismo.

Infelizmente um pequeno grupo de jovens sempre quer partir para o enfrentamento, neste caso se encaminharam para a Alerj, mas não se deixem contaminar por eles. São duzentos contra cem mil, não há comparação, não há contaminação, o movimento é de paz e para a paz. Que os coléricos sejam identificados e punidos, mas o povo acordou, o Rio de Janeiro acordou.

E quando você for reclamar que seu país é uma merda, lembre-se de tirar sua bundinha do sofá e dar o rosto a bater. Porque daí é mole reclamar, e você não deixará de ser um/a frouxo/a, e fique tranquilo/a, sua vidinha cheia de confortos continuará a mesma, mas quando eu identificar você, direi com todas as letras e em alto e bom som: "Covarde".

Coloquem suas caras para fora, seja na rua, seja no facebook, mas não sejam contra, dessa vez não, não, porque agora é a... vez e a voz.

O gigante acordou.
O Brasil acordou.

Rio de Janeiro, 17 de Junho de 2013.

Vinícius Fernandes da Silva". 





Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


Deixe seu email para que você possa receber as novidades e promoções do PSQC!

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades

Obvious Lounge: Palavras, Películas e Cidades
Agora também estamos no incrível espaço de cultura colaborativa que é a Obvious. Lá faremos nossas digressões sobre literatura, cinema e a vida nas cidades. Ficaram curiosos? É só clicar na imagem e vocês irão direto para lá!

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC

(in)contidos - O novo livro de Vinícius Fernandes da Silva do PSQC
Saiba como adquirir o mais novo livro de Vinícius Silva clicando nesta imagem

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!

Palavras Sobre Qualquer Coisa - O livro!
Para efetuar a compra do livro no site da Multifoco, é só clicar na imagem! Ou para comprar comigo, com uma linda dedicatória, é só me escrever um email, que está aqui no blog. Besos.

O autor

Vinícius Silva é poeta, escritor e professor, não necessariamente nesta mesma ordem. Doutor em planejamento urbano pelo IPPUR/UFRJ, cientista social e mestre em sociologia e antropologia formado também pela UFRJ. Foi professor da UFJF, da FAEDUC (Faculdade de Duque de Caxias), da Rede Estadual do Estado do Rio de Janeiro (SEEDUC) e atualmente é professor efetivo em sociologia do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Criou e administra o Blog PALAVRAS SOBRE QUALQUER COISA desde 2007, e em 2011 lançou o livro de mesmo nome pela Editora Multifoco. Possui o espaço literário "Palavras, Películas e Cidades" na plataforma Obvious Lounge. Já trabalhou em projetos de garantia de direitos humanos em ONG's como ISER, Instituto Promundo e Projeto Legal. Nascido em Nova Iguaçu, criado em Mesquita, morador de Belford Roxo. Lançou em 2015, pela Editora Kazuá, seu segundo livro de poesias: (in)contidos. Defensor e crítico do território conhecido como Baixada Fluminense.

O CULPADO OCUPANDO-SE DAS PALAVRAS

Contato

O email do blog: vinicius.fsilva@gmail.com

O PASSADO TAMBÉM MERECE SER (RE)LIDO

AMIGOS DO PSQC

Google+ Followers

As mais lidas!